Marcelo Grohe

defesa
Defesa no Grenal da Arena (globoesporte.com)
Por Andre Peixoto

Diante da péssima atuação de ontem no Grenal, me recuso a abrir um post falando do jogo. Vou tecer alguns comentários que julgo serem pertinentes: 

1º)  Renato novamente zombou os deuses do futebol. A não escalação de Arthur é uma afronta. Antes do jogo ele justificou Cícero porque precisava aumentar a estatura em função do jogo aéreo vermelho. Depois, na coletiva, disse que Arthur ainda não estava 100%. Mas e Leo Moura estava? Os treinadores esquecem a coerência quando se tratam de seus preferidos.
2º) Um dia talvez saberemos o mistério Bressan. Inaceitável o pênalti que ele fez. Ridículo, patético e infantil. Depois errou lances simples. Deixou até o excelente Kannemann nervoso e inseguro.

Mas apesar do filme de terror, veio a classificação. Não precisava ter sido assim. Bastava fazer o simples. Não fazer testes em um jogo decisivo ou tentar mostrar que pode tudo. O que Renato já fez pelo Grêmio é imensurável. Os 3 títulos recentes ainda estão na retina do torcedor. Merece todos os elogios e homenagens. Assim como o presidente Romildo. Mas isso não os torna imunes a críticas quando as merecerem. Renato ejetou o SINPOF do vocabulário gremista. Esse time do Grêmio joga em qualquer lugar sempre para ganhar. O chuveirinho na área também foi extinto do Humaitá. Nosso time joga com a bola no chão. De pé em pé. Tem paciência de tocar a bola até achar um desmarcado em condições de finalizar. Isso tudo é mérito único e exclusivo de nosso vitorioso técnico. Mas quando erra isso será sempre analisado e, se for o caso, criticado por esse blog. Ninguém está acima do Grêmio.

Bom, agora eu quero falar a respeito do título do post. Ele foi muito criticado. Comeu o pão que o diabo amassou. E faço uma ressalva: todas as críticas foram justíssimas, pois vinha falhando direto. Muitas partidas perdidas passaram por falhas suas. Aquele jogo contra o Atlético-PR foi emblemático, pois o gol que levou a partida para os pênaltis foi uma falha lamentável dele. Pois acabou sendo o herói da partida ao defender cobraças que classificaram o Grêmio. Mas elas só houveram porque ele falhou no tempo normal. Pois essa partida foi emblemática para ele, pois foi depois dela que uma nova fase surgiu. Ano passado talvez tenha sido o melhor da carreira do goleiro MARCELO GROHE.

defesa-grohe
A defesa do século contra o Barcelona do Equador (globoesporte.com)

Apelidado de Milagrohe pela torcida, tantas foram as defesas decisivas. Então esse post é dedica a ele. Uma das maiores volta por cima de um jogador gremista desde que eu acompanho futebol. De “braço de jacaré” a melhor goleiro do Brasil.
Parabéns, Marcelo! Tudo isso que acontece contigo é merecido. A sua ida a Copa da Russia só não irá acontecer se a política nojenta que assola a corrupta CBF ficar a frente de critérios técnicos. Espero que o técnico Tite seja coerente e justo na escolha.

defesa 1
Defesa contra o Lanus na Arena (globoesporte.com)

 

Grêmio mostra quem manda!

grenal
Fonte: globoesporte.com
Por Andre Peixoto

Não foi uma apresentação de luxo. Primeiro tempo foi muito igual, com chances de gol muito claras para o adversário (cabeçada de Dourado com milagre de Marcelo Grohe e outra de Patrick para defesa fantástica). Mas no apagar das luzes do primeiro tempo Everton abre o placar para o tricolor. Luan acha Ramiro dentro da área que toca para o Cebolinha empurrar para as redes. O Grêmio é irresistível quando começa a tocar a bola. Foi um balde de água gelada nas pretensões vermelhas. O goleiro Marcelo Lomba fazia muita cera durante o primeiro tempo.

Veio o segundo tempo e o panorama da partida mudou completamente. A superioridade técnica e física gremista foi muito evidente. Praticamente passeavam em campo, com troca de passes, deslocamentos, infiltrações. Enfim, era o Grêmio no segundo tempo e os gols foram saindo ao natural. O segundo numa falta cobrada com maestria (nunca pensei em dizer isso) por Jael. Na gaveta. O terceiro numa rifada de bola na qual Jael ajeitou com o ombro em profundidade para Arthur, o craque, chegar livre na frente do goleiro colorado para ampliar. Depois disso foi um show. O “olé” da torcida foi gigantesco. Assim como  Luan, Arthur foi caçado em campo o tempo todo. A troca de passes foi humilhante, mostrando toda a superioridade do time gremista frente ao rival. E o jogo acabou ao som de “olé”.

Com relação a arbitragem eu me recuso a falar de algo na qual todos sabem como será. O próprio técnico vermelho falou que diria em “off” o que faria para conter Luan. Então não tenho muito o que dizer. Quarta-feira será Vuaden, que costuma deixar o jogo correr e o pau cantar. Espero que Renato oriente seus atletas a ficarem atentos.

Após o jogo de quarta, o negócio é preparar o time para os jogos da Libertadores dias 4 e 17/4, pois não temos mais nada a fazer nesse campeonato do Noveletiano. Obviamente que o título gaúcho virá ao natural, mas fazem muitos anos que me recuso a comemorar gauchão…

Tudo normal…

luan6
FONTE: globoesporte.com
Por Andre Peixoto

A vitória do Grêmio ontem contra o arquirrival só não foi maior porque Éverton e o fraquíssimo Jael erraram gols que poderiam ter dado uma outra cara ao jogo. No primeiro tempo com placar de 2×0, os dois de Luan, o Grêmio deu um chocolate. Um banho de bola. Os vermelhos não viram a cor dela. Estavam tontos. Era o momento de dar o nocaute. E ele quase veio. Ainda teve tempo do jogador mais badalado deles (que não jogou nada, diga-se de passagem) apelar e fazer uma dura falta em Luan. Mas encerrou o primeiro tempo com vaias da torcida dona da casa, tamanha era a superioridade do tricolor. Mas veio o segundo tempo e a natural pressão do adversário. Até que em um escanteio o gol de cabeça, desviando a bola em Cortez. Depois foi uma pressão muito grande, com o Grêmio recuando demais. Renato sacou Madson para colocar Alisson, que não entrou bem. Deslocou Ramiro para a lateral. Até ali Jael continuava dando seu festival de dominadas de canela, passes ridículos e suor improdutivo. Até que Renato resolve sacá-lo e colocar Michel. Depois ainda colocaria MO, na qual ninguém entendeu a substituição (acho que nem ele). Mas o jogo ficou mesmo no 2×1. Ficou para os vermelhos a sensação (falsa) de que poderiam mais e para nós a lição de liquidar o jogo o quanto antes.

Esse jogo serviu para mostrar ao Renato que Jael não tem as mínimas condições de fardar. Por favor! Não tem um mínimo de categoria na hora de finalizar. Com todo respeito ao profissional, que não tem culpa de estar ali. Alguém o escala. Alguém insistiu em renovar com ele. Aquele chute de bico para longe do gol foi o símbolo do que é Jael. É o tosco, o tijolo, o ruim.

É gritante a nossa necessidade de um atacante na frente. Alguém que faça gols. Acho que para a segunda fase da LA a direção irá em busca desse jogador. Nesse primeiro momento, acredito que tenham esbarrado em preços altíssimos e em salários estratosféricos. Mas precisamos desse jogador. Ele é fundamental. Imagino se Barrios ainda estivesse no clube. Uma pena que não conseguiram (ou não tiveram interesse) em renovar com ele. Com parceria mais qualificada ele renderia bem mais. Mas isso é passado.

Agora serão mais dois clássicos para decidir quem passa de fase. Certamente quem for adiante será o campeão gaúcho. Grêmio tem todas as condições de liquidar de vez com qualquer chance de salvar o ano vermelho. Não estou nem aí para o título. Só quero deixá-los apreensivos sobre o ano. Preocupados em um novo rebaixamento. Time deles é fraco. Não tem recursos técnicos. Isso ficou evidente ontem. O chuveirinho foi a arma deles na maior parte do jogo. Que continue assim…

GREnal para liquidar…

maxresdefault
FONTE: https://www.youtube.com/watch?v=jFQnvkO3UtE
Por Andre Peixoto

Neste domingo às 17h teremos o primeiro clássico de 2018. Muitos torcedores desdenham desse clássico tendo em vista ele ser do Gauchão. Quem acompanha esse espaço já leu várias vezes eu dizer que o Grêmio jamais deveria jogar com time titular esse campeonato do Noveleto. Mas diante das circunstâncias, esse GREnal pode significar muita coisa. Vou explicar.

Os vermelhos buscam a todo custo uma afirmação. Quase todos eles ainda estão traumatizados com a queda para a SEGUNDONA (série b, ex-segundona, como diria meu amigo RW). Eles também sabem que o time até agora não mostrou futebol convincente, ganhando partidas de times muito fracos tecnicamente. Isso tudo gera um pânico de voltar para o inferno ano que vem.

Pois bem, meus amigos. Pois esta seria a hora perfeita para darmos um tombo dos mais humilhante neles. Sabemos que, time por time, o nosso é muito superior. Vencer jogando muita bola seria uma ducha de água fria neles e na ivi. Sim, a ivi também iria baixar a bola, enaltecendo esse time a todo instante. Chegaram a comparar time por time e dar empate. Mas tudo bem, darei um desconto porque é a ivi. É seu papel nos contar lorotas. O golpe mortal pode ser dado amanhã. Basta, para isso, que Renato faça com que esse Grêmio jogue para liquidar a coloradagem. Colocá-los no seu devido lugar. Que Renato encontre o equilíbrio desse time, deixando de lado o bruxismo e escalando o que tem de melhor.

Esse é o meu desejo para esse GREnal…

Juventude 0x2 Grêmio

torcida
http://twitter.com/Gremio_Forte/status/970421247363436545
Por Marcio Tremarin

Em virtude das vitórias de Avenida e Novo Hamburgo, o Grêmio iniciou o domingo pressionado. Renato mandou a campo uma escalação diferente do habitual, com Cícero na armação, Jael de centroavante com Éverton e Ramiro pelos lado.

Escalação diferente, futebol já conhecido. O primeiro tempo foi de poucos lances de perigo. Grêmio abusando do chuveirinho e lançamentos defesa-ataque. É verdade que não levamos nenhum susto no primeiro tempo, mas também não houve conclusão a gol da nossa parte. Cícero já fez algum jogo bom pra justificar sua intocável titularidade?

Resumindo o primeiro tempo, Grêmio teve ampla posse de bola mas não criou grandes chances de marcar. O que vale destacar é que Madson aparecia bem no ataque, mas os seus cruzamentos iniciais foram de desanimar. Mas no final do primeiro tempo, Madson cruzou bem, por baixo, Jael tentou dominar e deu de canela!!! A bola sobrou pra Éverton, que desperdiçou isolando de esquerda. Foi a melhor chance de gol em todo o primeiro tempo.

jael
Fonte: http://twitter.com/lucasvon/status/970449422311096322

Veio o segundo tempo e de cara Jael aproveita vacilo do goleiro e abre o placar. Foi Crueeeel. Grêmio jogou o tempo todo no ataque, assim como no primeiro tempo, mas agora sendo mais objetivo. Maicon, numa tacada de bilhar, acha Ramiro livre na direita, em profundidade, o qual cruza rasteiro para trás, achando Madson, que chuta de primeira pra ampliar. O gol coroa a melhor atuação dele no ano.

madson
Fonte: uol.com.br

Com a vantagem, Renato promove a estreia de Brocador. Jael sai ovacionado. Quem diria! Na sua primeira chance, livre cabeceia por cima. Após isso foi só administrar e comemorar a importante vitória.

Conclusões

Grêmio precisa melhorar a construção ofensiva, diminuir os lançamentos diretos e ser mais efetivo nas conclusões. O meio-campo está longe de ser aquele que nos encantou em 2017, com toques rápidos e muita movimentação. A defesa foi segura, muito devido a fraqueza do adversário. Melhor posição para o Cícero, por enquanto, é no banco de reservas.

Com o tento, Grêmio entrou na zona de classificação, é 8º, com 10 pontos.  Quarta-feira enfrentaremos o desesperado São Paulo na Arena. É jogo chave, pois ao passo que nos livramos da queda, poderemos jogar tranquilos no Grenal.

classificação
Fonte: globoesporte.com

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Grêmio estréia com empate no Uruguai

25655468807_d56484a905_o
Fonte: globoesporte.com
Por Andre Peixoto

O Grêmio iniciou hoje às 19:15 a sua caminhada rumo ao tetra da Libertadores. Empatou em 1×1 com o Defensor do Uruguai numa partida que poderia ter voltado com os 3 pontos, tamanha foi a superioridade.

Renato iniciou com Cícero teoricamente como o jogador mais adiantado e Madson na lateral. Assim como em outras oportunidades onde começou assim, o time foi muito mal. Cicero embola muito com Luan, que também não esteve bem. É bem verdade que o time uruguaio armou um retrancão, parecendo ser o visitante. Achei Maicon ainda longe de ser o jogador que sempre foi . Lento, errou muitos passes e lançamentos.

Com tamanha superioridade o Grêmio abriu o placar com Maicon, aparando um rebote. Mas minutos depois veio o empate, num erro infantil de marcação, onde o jogador argentino cabeceou completamente sem marcação. Depois não tivemos mais tempo de tentar o segundo gol.

Na minha opinião o time estava mal escalado e o banco também estava com poucas opções. Renato insiste em Jael. É o tipo de situação que, de tanto insistir, uma hora ele faz um passe ou um gol e as pessoas dirão: viu como ele tinha razão em insistir? Mas a grande verdade é que Renato foi teimoso na insistência com Cícero. Nunca deu certo a escalação dele jogando adiantado. Na posição ao lado do Maicon acho que pode dar certo. Na outra não. Para que veio o tal Brocador se sequer fica no banco? Tony Anderson é um jogador que poderia ser uma boa opção de mudança. Mas também sobrou no banco. Um pouco da culpa é da Conmebol, onde permite somente 7 jogadores no banco. Existem coisas que realmente só acontecem aqui.

Agora voltamos ao charmosão, onde precisamos de mais 2 ou 3 vitórias. O jogo é contra o Juventude no Jaconi, domingo às 17h.

Grêmio Bicampeão da Recopa

gremio-independiente-festejo-recopa-sudamericana-2018-6
Fonte: infobae.com
Por Andre Peixoto

E na noite de ontem o Grêmio nos presenteou com o segundo título da Recopa Sulamericana. Começar o ano com um título internacional é espetacular. Parabéns a direção gremista, ao técnico Renato e ao grupo de jogadores. Se prepararam visando esse jogo. Mas não podemos tapar o sol com a peneira a respeito dos problemas do time. Mas isso falarei no fim do texto. Vamos ao jogo.

Grêmio iniciou a partida da forma que deveria ter iniciado em Avellaneda, com Alisson sendo o extrema pela direita. Começou amassando o Independiente, que veio com a clara proposta de se defender e especular no ataque. Logo de saída já perdeu um gol. E assim continuou, com o time argentino sendo muito perigoso nos contra ataques. O grande problema é que bateu de frente com a melhor dupla de zaga da América. Não lembro de uma defesa importante do goleiro Marcelo Grohe. E assim foi a partida toda, com pressão o tempo todo e muitos gols perdidos. Everton e Luan foram os campeões. Novamente o time argentino teve um jogador expulso por jogada violenta (Luan ficou com um risco de chuteira no peito). Mas mesmo assim o Grêmio não conseguia passar pelo ótimo goleiro Campaña, que fez pelo menos 3 grandes defesas. No final do tempo normal e da prorrogação o Independiente quase abriu o placar. Para nossa sorte os jogadores estavam exaustos, o que fez com que a pontaria fosse prejudicada. E então a partida foi decidida nos pênaltis, onde brilhou o nosso goleiro, defendendo a última cobrança, para a explosão da torcida gremista em todo o mundo.

Taça no armário, torcida eufórica mas agora voltamos a realidade do gauchão, onde o Grêmio ocupa a última posição. Que esse planejamento equivocado tenha servido de lição para a direção gremista. Que nunca mais se use esse time de transição sem ter jogadores titulares mesclados. O Grêmio precisa jogar. Tem muito o que melhorar. Também precisa de jogadores em nível de titular e grupo. Ainda precisamos do atacante finalizador, que não é e nunca será o tal Brocador. Precisamos de lateral direito reserva. Talvez até titular, pois Léo Moura não irá aguentar o ritmo todo ano. Jael jamais poderá ser a primeira opção para mudar uma partida. Ontem ficou muito claro.  A impressão que passa é que os próprios jogadores sabem disso. Jael é de outro time. É do time da série C. Jamais poderia jogar no Grêmio. Talvez somente o técnico Renato acredite nesse jogador. Jael não acompanha a inteligência de Luan, Everton e outros jogadores de técnica refinada. Na escalação dele para as cobranças de pênalti, Renato desafiou os deuses do futebol. Deu certo. Deve ter mostrado a língua para os deuses. Mas não é bom desafiá-los assim. O resultado costuma ser catastrófico.