O fim da transição…

sao-jose-e-gremio-duelam-pela-quarta-rodada-do-gauchao-1517171431742_615x300
Por Andre Peixoto

Neste domingo encerrou-se de forma melancólica a participação do time de transição do Grêmio no Campeonato Gaúcho. Ouso decretar o fim porque não posso acreditar que ele seja usado novamente esse ano. Não na sua forma completa. Não irei criticar a direção porque eu fui um dos que pedia uma equipe de guris até que fosse completada toda a preparação do grupo titular. Mas o resultado foi o pior possível, com 4 jogos, 1 empate e 3 derrotas. Sempre podemos tirar proveito de alguma coisa. Alguns jovens já podem tranquilamente ficar no grupo principal, não precisando o presidente Romildo gastar com jogadores para grupo. Eles estão na base.

Que os resultados tenham servido ao menos para que a comissão técnica mude seu planejamento com relação a poupar no Campeonato Brasileiro ou em qualquer outro. Que sejam poupados os com desgaste. Que seja feito um revezamento nos titulares, de forma que se mantenha uma espinha dorsal. Que não altere a forma do time jogar. Nunca tirar ao mesmo tempo Geromel e Kannemann, por exemplo, pois nossos reservas são sofríveis. Que Renato não faça como o treinador da transição, que improvisou o péssimo Leonardo na lateral esquerda. Já é sofrível na direita, imagina deslocado!

Enfim, acho que levamos vantagem para os demais concorrentes nos campeonatos em função da equipe ser a mesma. Com o mesmo entrosamento. Peças como Fernandinho, que só jogou na final, terá acréscimo de qualidade. A única dúvida é o atacante mais avançado. Vamos falar disso agora já pensando na partida contra o Independiente dias 14 e 21 de fevereiro.

Acredito que Renato irá mudar um pouco a forma de jogar. Irá adiantar Luan como falso 9, colocando Cícero na armação. Everton entrará na vaga de Fernandinho. Espero que esse jogador tenha uma boa sequência de jogos, pois conquistou essa condição fazendo gols sempre que vinha do banco. Na vaga de Ramiro creio que irá deslocar Léo Moura, entrando Madson na lateral. Isso é o que eu penso que Renato fará. Mas nesse caso em específico sou contra. Deve-se testar outro jogador melhor tecnicamente. Um jogador que também componha mas que saiba armar e seja agudo. São quase 3 anos de titularidade de Ramiro. Tá na hora de ter um jogador com outra característica nesse setor. No resto creio que nada irá mudar. Com Arthur ainda se recuperando, entra Maicon ao lado de Jaílson, saindo este último quando Arthur voltar. Maicon é o jogador que organiza muito bem o time e ainda faz bons lançamentos e “pifadas”. Por isso defendo na frente um jogador rápido, que quebre as linhas, sempre dando opção para quem vem de trás.

Acho que o time seria esse até a vinda do atacante (espero que seja assim, atacante, e não um aipim) que o Romildo tanto promete…

 

17 comentários em “O fim da transição…

  1. Os dois jogadores que mais pareceream ter bola no corpo, inclusive fazendo gols, não vão subir: Jean e Matheus. Vão subir outros com forte QI. No mínimo é estranho.
    PS: O nível das contratações esse ano foi muito baixo. O Clube deve estar muito mal das pernas mesmo.

    Curtir

    1. Pois é Diego, realmente muito mal explicado o motivo para o Matheus e Jean não subirem, devem estar renovando o contrato do Jean, e comprando o Matheus em definitivo, só pode, espero que seja isto, senão vão escancarar que o critério para subir os jogadores são os empresários e não o futebol jogado.

      Curtir

  2. Lá vai textão.

    Fiquei pensando se deveria escrever isso ou não. E ainda, se deveria pedir a palavra para o dono do Blog, e transformar em um post.

    Mas como é só a minha opinião, resumão e perspectiva, acho melhor deixar aqui.

    Vou começar pelo assunto do André.

    Sou um dos que defendeu, e continuo defendendo, a utilização de garotos no Novelettão. Ver como eles se saem e quem pode ser aproveitado no grupo principal.

    Vendo, agora, em perspectiva, olhando para o passado, para as linhas já escritas. Vejo que houve um erro de planejamento. Não ao dar aos guris um chance, mas em colocar um comandante, um técnico que se mostrou demasiadamente despreparado. Ele não conseguiu dar liga a esse time. Como o próprio Leo Moura (parabéns pela sinceridade), falou, desde que o Grêmio ganhou o tri da Libertadores, se sabia que seriam esses jogadores que começariam o campeonato Gaúcho. Não achei eles preparados fisicamente, para aguentar os 90 min. No segundo tempo era uma caída total de rendimento. Talvez por serem guris, e não terem o corpo desenvolvido para jogarem tanto tempo, no verão em alto desempenho. Mas acho que poderia ter sido melhor trabalhado. Não vou nominar nenhum jogador, a não ser o Grassi, que mostrou mais do mesmo, e não podemos acompanhar um guri da base, no gol, para talvez, ser o futuro do Grêmio.

    Mas, resumindo, se for culpar alguém pelo fraco desempenho do grupo de transição, 1 – Direção. Por ter apostado tanto em um técnico tão despreparado.

    Bom, agora vou ao que gostaria mesmo escrever.

    Acho o Renato um baita técnico, totalmente em sintonia com a direção e torcedores. Mas não teria renovado com ele. Primeiro, porque acho que esse ano, deveria ser um ano de reciclagem e desapego de alguns nomes. E que motivação vai ter o Renato para ganhar esse ano? Gauchão? Recopa? Outra Copa do Brasil?

    Com um time vencedor e confirmado, tentaria vender alguns jogadores, para dar espaço para novos. Começaria com o Grohe, o melhor goleiro do segundo semestre na América. Não tenho nada contra ele, mas acho que poderíamos fazer algum dinheiro e começar a dar lugar a uma nova geração. Nessa barca entraria o Maicon, Ramiro, Marcelo Oliveira e o Douglas (se fosse possível). Altos salários, jogadores de uma certa idade, que estão valorizados no Grêmio e não serão titulares em poucos anos.

    Enfim, estou pensando como um estrategista, vendo na frente. Sei que muita gente não vai gostar de ler isso, mas como disse, é só minha opinião.

    E por fim, estamos vendo a dificuldade em contratarmos jogadores. Os nomes que chegaram, até agora, são apostas baratas, para nomes caros que saíram.

    Fica claro que mal temos elenco, para disputar título, de UMA só competição. Parece que a direção vai apostar as fichas na Copa do Brasil, pelo valor. Acho um erro. Se eu fosse apostar, apostaria só no Brasileirão. Enquanto todos os outros grandes times estão na Libertadores e Copa do Brasil.

    Mas enfim, vejo um ano complicado. Estarei, tranquilo, observando.

    Abraços, amigos

    Curtir

    1. Não que seja uma regra, mas normalmente é mais fácil fazer um time vencedor quando se tem continuidade. Se desfazer de peças importantes do time titular (como Grohe e Ramiro citados por ti) sem ter uma reposição a altura já a disposição seria um risco, pra dizer o minímo. Temos que levar em conta que já saíram 3 titulares e Arthur e Luan estão valorizados e devem sair até o fim do ano.
      Muitas trocas significam remontar o time, que é vencedor, o que demandaria tempo, talvez anos até formarmos um time com a mesma qualidade. Bon lembrar que fomos campeões com essa base nos 2 últinos anos.
      Se esses jogadores ainda rendem bem, creio ser mais negóco segurá-los pelo maior tempo possível, ainda mais quando o lucro da venda deles não seria muito alto (falo de Grohe e Ramiro, mas cito tb a dupla de zaga).

      Negociar alguns reservas que ganham muito, acrescentam pouco e poderiam ser mais facilmente repostos, tal como Oliveira e Maicon, sim seria uma estratégia mais correta ao meu ver.

      Sobre a motivação do Renato, não vejo como um problema. Quantos treinadores permanecem anos no mesmo time, sendo campeões e querendo sempre mais? Fergunson, Wenger, Guardiola, Phil Jackson, Bill Belichek, citando diferentes esportes. Vai da personalidade do individuo.

      Curtir

    2. Parabéns Gustavo. Pensamento claro e lógico.

      Penso que a direção se atrapalhou e ficou sem saber para onde ir com o Mundial. Não havia planejamento para 2018.

      Tentou trocar o pneu com o carro andando. Acreditou que só com o andar da Carruagem os times se arrumariam e o leite derramou.

      É o pensamento mágico que tudo vai dar certo e que qualquer jogador vai chegar e recuperar seus melhores dias.

      Que um ou outro possa encaixar no time é possível mas todos é impossível. Mesmo com a manutenção de Geromel e Kannemann não acredito que possamos manter um padrão como 2017. Somos mais do mesmo…

      Os adversários mudaram agregando valores e conhecimento. Valores financeiros e técnico.
      A falta de um Arthur na hora derradeira e um dia para esquecer do Luan fechou algumas portas para o mesmo.

      É mais que visível que o Grêmio não conseguiu manter o ritmo alternando boas e péssimas partidas. Esta falta de regularidade é o que leva ao abandono do Brasileiro.

      Quero estar errado com o ano que se inicia. A amostragem do Sub 20 Sub 17 e do Grupo de Transição foi muito mais que um choque de água fria.

      Formação de jogadores com queda no início dos torneios significa que os comandantes não funcionam. Não tiveram um mínimo de capacitação para formar um time para chegar no final da competição.

      O que se viu do grupo de transição foi invenção de escalações de um grupo muito mal preparado fisicamente e taticamente mal treinado.
      Até a cobrança de laterais foi deficiênte…

      Romildo e o Grêmio estão perdendo corpo…

      Curtir

  3. Não dá para ser definitivo nessa avaliação da base. Jogaram contra muito experiente e cascudo de outros times. O time do Grêmio é formado por jogadores muito novos. Uma coisa que percebi realmente foi o dedo técnico fazendo pardalices. Mas enfim, creio que é um erro deixar esses guris só treinando. Deveriam participar de mais campeonatos e torneios e eventualmente substituir algum titular. O desempenho foi baixo sim. Mas e daí ? Quem leva o gauchão a sério fora a IVI?

    Seria um desperdício arquivar esses garotos. O Grêmio já queimou gente boa da base e valorizou outras peças…inclusive em time profissional.
    Concordo com a direção em coloca-los no gauchão e preservar a equipe titular, desde que esteja treinando mesmo…entenda-se por treino tudo aquilo conhecemos de forma literal sobre treino.

    O Grêmio é um time que vai ter que apresentar alguma novidade em forma de jogo. Caso contrário entendo que só manter a base de time não faz sentido. Todos outros 19 times sabem que o Grêmio privilegia posse de bola e contra-ataque. Resta saber se teremos coelhinho novo na cartola do Renato.

    Curtir

  4. Vou assinar embaixo do post do Zé embora sem conhece-lo: os três jogadores mencionados principalmente o Rafael Thiere poderiam perfeitamente estar no grupo.Nunca vi muita bola no H.Almeida mas mais do que o atacante “zero gol” com certeza ele joga!
    Eu não dou uma gimba de cigarro sem filtro para este campeonato porque há muito tempo, estaduais são uma bizarrice, uma excrescência, a unica coisa inadmissivel é vexame tipo o de ontem.
    E não critico o time de transição em si porque até acho que jogou bem em algumas partidas ou tempos, só que o técnico é um completo ignorante em conhecimento de futebol e o goleiro é horrroroso e se está jogando em Janeiro é que o contrato dele foi renovado, valha-me Deus!!!

    Curtir

  5. Vou fazer uma analogia “grotesca”, mas serve para esse time de transição.
    Coloca um guri que luta MMA com 20 anos, no Octágono, com Anderson Silva ou Vitor Belfort?
    O Guri certamente vai ter mais velocidade, força e gás. E pode num golpe derrubar o veterano.
    Entretanto, com o passar dos Rounds, o veterano começa a bater , a estocar, e cansar o “guri”, a tendência é que o Veterano nocauteie o “guri” com a experiência.

    É provável que venha ocorrendo isso com o Grupo de Transição. Condições mínimas de jogar bola eles tem, se não, não estariam no Grêmio. Apesar de alguns estarem ali por “Q.I”.

    Falha-lhes experiência, e como Chico referiu: falta um Técnico.

    E vou mais longe, como é nome do Grêmio em “Pauta”. Seria o caso do Renato ou Alexandre Mendes ter ido ao vestiário, e ter conversado frente a frente com os meninos, dar aquela injeção de ânimo.

    Lembram a Olimpiada/16. O time da Seleção brasileira, com o Neymar (balaka) e tudo, empatou com o Iraque.
    O Tite , pegou um avião e foi lá conversar com o grupo, saber o que estava se passando….
    Depois disso, o Brasil melhorou e foi ouro no futebol. coisa que inédita!!

    Acho que, moralmente uma ou duas palavras de Renato, iram surtir mais efeito do que mil do Cesar Bueno.

    Curtir

  6. Quem assiste e gosta de futebol sabe que é muito difícil o entrosamento de uma defesa e alguns clubes grandes sofrem por anos com falhas neste setor.

    Pegar um grupo de jovens com pouca rodagem e colocar em confrontos contra times já formados e com jogadores rodados dá nisso. Derrotas.

    Além dos fatores já elencados temos um treinador verde e sem currículo.

    Mesmo com treinadores experientes é com altos e baixos uma campanha de time em formação.

    Já defendi em algumas ocasiões a montagem de um time a partir da base para disputar série d ou C e ir pegando experiência com um treinador altamente capacitado para ir polindo os jogadores.

    Considero fundamental para o Clube incutir nos atletas uma consciência tática e visão do jogo para que cada um possa evoluir individualmente e coletivamente.

    Isso se faz treinando muido e jogando regularmente com confrontos pesados para separar homens de meninos.

    Claro que as qualidades técnicas de cada jogador tem de ser ampliadas e exaustivamente aprimoradas em benefício da coletividade.

    Ontem vimos o Jean Pierre e Balbino tentar finalizar com distância. É necessário muito trabalho na forma de bater na bola para que com velocidade e direção
    possa chegar na goleira com perigo ou surpreendente e entrar. Mesmo não entrando pode dar rebobe e sobrar para novo arremate.

    O sistema de jogo tem de ser exaustivamente treinado para que cada um tenha consciência de que sempre haverá um parceiro livre esperando a bola para dar continuidade à jogada elaborada ou planejada.

    Sei que muitos usam pontos como pinturas nas paredesde de referência pintura no gramado de treino cones nas laterais mas não vejo acontecer em campo.
    Os ingleses gostam da câmera aérea para mostrar o posicionamento certo e as falhas.
    Alguns hoje usam drones e com uma tela vão revendo as jogadas e repetindo até acertar todos os posicionamentos e opções da melhor finalização.

    Quem não tem jogadores que possam com um drible ou movimento inesperado finalizar tem que criar jogadas e treinar até obter índices aceitável que levem à vitórias.

    Claro que sem treinador e gente capacitada para passar aos alunos não vai ter resultados satisfatórios.
    É o caso do grupo de transição onde o resultado mostra que não souberam preparar e aprontar o grupo.

    Curtir

  7. O grupo de transição deixou muito a desejar, principalmente por causa do treinador, que em todos os jogos desmanchou o meio de campo, sobrepondo atacantes. Sistematicamente fez isso, obtendo resultados desastrosos. Não sei quem é e não conheço as credenciais desse treinador, mas a pequena amostragem nos faz abrir o olho sobre seu trabalho.
    Em relação à gurizada, nota-se que há alguns jogadores já prontos para sentar no banco de reservas do time principal, e entrar no jogo sem comprometer, como por exemplo Mateus Henrique e Jean Pyerre. E alguns que tem que treinar muito na base, como o zagueiro e o lateral esquerdo.
    Mas a grande decepção está nos reforços Paulo Miranda, Madson e Alisson. Nenhum trouxe um alento que seja. Nada mesmo. Principalmente em relação ao Alisson, pois esse não conseguiu se destacar em um campeonato regional, imagina o que nos espera contra adversários mais consistentes.

    Curtir

      1. Bah André! Vou começar dizendo que estou com muito medo esse ano. Pode me chamarem de corneteiros ou pessimista, não é nada disso. Na minha modesta opinião o Grêmio com esse plantel vai penar esse ano. Já não tinha ano passado e esse ano perder ainda, os que vieram são tudo aposta. Era preciso substituir a altura ou até melhor nas três posições que perdeu, sem falar no plantel em geral que falta muita gente, ainda mais que esse time de transição não possui a mínima condição de jogar o brasileiro, quais jogadores irão jogar se tiver que poupar os titulares? Não temos lateral esquerdo, primeiro volante, centroavante nos reservas, aliás esse último nem no principal.
        Por que liberaram o Guilherme, Thyere e até o H. Almeida para empréstimos? Não são nenhuma maravilha, mas ajudaria pelo menos no início do ano.
        Acreditar que a transição daria conta foi um erro enorme, tanto pelos meninos jogando num time todo errado, sem entrosamento, quanto pelas contrações que é difícil jogar num time desestruturado, agora os titulares vão ter que meter o pé pra classificar, colocando em risco ai sim o planejamento.
        Sobre as contratações é simples por que sempre fazem apostas, não podiam pelo menos trazerem dois ou três acima da média.
        Lembremos que todos os times brasileiros como os argentinos estão muito mas muito mas forte que o ano passado e acreditar no imponderável ou na poção mágica é dura pra torcedor consciente.

        Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s