O fim da transição…

sao-jose-e-gremio-duelam-pela-quarta-rodada-do-gauchao-1517171431742_615x300
Por Andre Peixoto

Neste domingo encerrou-se de forma melancólica a participação do time de transição do Grêmio no Campeonato Gaúcho. Ouso decretar o fim porque não posso acreditar que ele seja usado novamente esse ano. Não na sua forma completa. Não irei criticar a direção porque eu fui um dos que pedia uma equipe de guris até que fosse completada toda a preparação do grupo titular. Mas o resultado foi o pior possível, com 4 jogos, 1 empate e 3 derrotas. Sempre podemos tirar proveito de alguma coisa. Alguns jovens já podem tranquilamente ficar no grupo principal, não precisando o presidente Romildo gastar com jogadores para grupo. Eles estão na base.

Que os resultados tenham servido ao menos para que a comissão técnica mude seu planejamento com relação a poupar no Campeonato Brasileiro ou em qualquer outro. Que sejam poupados os com desgaste. Que seja feito um revezamento nos titulares, de forma que se mantenha uma espinha dorsal. Que não altere a forma do time jogar. Nunca tirar ao mesmo tempo Geromel e Kannemann, por exemplo, pois nossos reservas são sofríveis. Que Renato não faça como o treinador da transição, que improvisou o péssimo Leonardo na lateral esquerda. Já é sofrível na direita, imagina deslocado!

Enfim, acho que levamos vantagem para os demais concorrentes nos campeonatos em função da equipe ser a mesma. Com o mesmo entrosamento. Peças como Fernandinho, que só jogou na final, terá acréscimo de qualidade. A única dúvida é o atacante mais avançado. Vamos falar disso agora já pensando na partida contra o Independiente dias 14 e 21 de fevereiro.

Acredito que Renato irá mudar um pouco a forma de jogar. Irá adiantar Luan como falso 9, colocando Cícero na armação. Everton entrará na vaga de Fernandinho. Espero que esse jogador tenha uma boa sequência de jogos, pois conquistou essa condição fazendo gols sempre que vinha do banco. Na vaga de Ramiro creio que irá deslocar Léo Moura, entrando Madson na lateral. Isso é o que eu penso que Renato fará. Mas nesse caso em específico sou contra. Deve-se testar outro jogador melhor tecnicamente. Um jogador que também componha mas que saiba armar e seja agudo. São quase 3 anos de titularidade de Ramiro. Tá na hora de ter um jogador com outra característica nesse setor. No resto creio que nada irá mudar. Com Arthur ainda se recuperando, entra Maicon ao lado de Jaílson, saindo este último quando Arthur voltar. Maicon é o jogador que organiza muito bem o time e ainda faz bons lançamentos e “pifadas”. Por isso defendo na frente um jogador rápido, que quebre as linhas, sempre dando opção para quem vem de trás.

Acho que o time seria esse até a vinda do atacante (espero que seja assim, atacante, e não um aipim) que o Romildo tanto promete…

 

Centroavante: a era da extinção

centroavante

Por Walter Borba e Gustavo Medeiros

Com leitura do post “Expliquem para Mr. Bean”, do Corneta do RW e, do post “A polêmica  – Centroavante”, do Resenha Tricolor, fiquei estimulado a escrever sobre o assunto. E meu objetivo é que o texto complemente as idéias lançadas pelos ilustres “blogueiros” acima referidos.

Para tanto, recorri ao Setor de Pesquisas e Estatísticas Avançadas do Resenha, sediado em Colônia/Alemanha, capitaneado pelo Dr. Gustavo Medeiros, o qual gentilmente me respondeu um “whatsapp” com um questionamento singelo, mas polêmico aqui no Rio Grande do Sul (vg. República do Texas, by RW) – “O bendito centroavante”.

A minha questão ao Gustavo foi a seguinte: – Gustavo quem fez mais gols no Grêmio nos últimos 5 anos? Os centroavantes ou os atacantes de movimentação? Estaticamente  quem é mais útil?

Sir Gustavo no mesmo dia me encaminhou um e-mail com os dados a seguir, e para minha surpresa ele foi além do meu pedido, encaminhando-me os goleadores do Grêmio desde 2001 a 2017.

Vejam e tirem suas próprias conclusões sobre a necessidade do Centroavante “aipim”:

2001

Zinho 23

Luis Mário 15

Marcelinho Paraíba 15

Total Grêmio: 135

2002

Rodrigo Fabri 26

Rogrido Mendes 22

Anderson Lima 13

Total Grêmio: 111

 

2003

Anderson Lima 15

Christian 12

Gilberto 9

Total Grêmio: 90

2004

Christian 27

Cláudio Pitbull 23

Marcelhinho Rodrigues 5

Total Grêmio: 104

2005

Samuel 11

Somália 10

Anderson 7

Total Grêmio: 78

2006

Rômulo 13

Theco 12

Herrera 12

Total Grêmio: 109

2007

Tuta 18

Diego Souza 16

Tcheco 15

Total Grêmio: 107

2008

Perea 17

Reinaldo 12

Roger 10

Total Grêmio: 110

2009

Jonas 24

Souza 23

Maxi López 17

Total Grêmio: 126

2010

Jonas 44

Borges 20

Maylson 13

Total Grêmio: 146

2011

Douglas 16

André Lima 14

Borges 11

Total Grêmio: 113

2012

Marcelo Moreno 22

Kléber 15

André Lima 14

Total Grêmio: 128

2013

Barcos 14

Zé Roberto 10

Vargas 9

Total Grêmio: 85

2014

Barcos 29

Luan 9

Dudu 8

Total Grêmio: 81

2015

Luan 18

Giuliano 11

Douglas 10

Total Grêmio: 93

2016

Pedro Rocha 12

Luan 12

Everton 9

Total Grêmio: 101

2017

Barrios 18

Luan 18

Everton 12

Total Grêmio: 121

Algumas observações do Gustavo:

1 – Geralmente quando tem jogadores mais fixos, o número de gols do Grêmio, no total, cai bastante durante o ano;

2 – Os anos que o Grêmio mais fez gols durante o ano, não tinha centroavante fixo;

3 – 2016 foi a temporada do Bobô, nem ficara entre os artilheiros, Everton, Luan e Pedro Rocha, sim.

Conclusão: Os números não mentem. Está cabalmente demonstrado que chegou “ a era da extinção dos centroavantes”, ao menos no Grêmio. O futebol não tem mais vez para “grandalhões desengonçados e caneludos”, porém, aqui no “Texas”, todo início do ano é a mesma ladainha de quem vai ser o centroavante do Grêmio. É um desejo ardente, tórrido, cálido e incandescente que não tem explicação! Ou tem?

A polêmica “centroavante”

Screenshot_20180122-091412

Por Andre Peixoto

Ontem, após o jogo do Grêmio contra o Caxias, estava pensando no que a direção irá fazer para dar sequência a essa gurizada do grupo de transição. Todos sabemos que a pressão da torcida será muito grande se perderem novamente ou até empatarem. Como já opinei aqui, o resultado do ruralito pouco me importa. É um campeonato que leva nada a lugar algum. Respeito quem acha importante não deixar os vermelhos ganharem o único título possível esse ano. Mas tudo bem. O que eu queria realmente escrever era sobre o tema centroavante. Ontem a gurizada deu um banho de movimentação no Caxias. E, como o meu amigo RW publicou no post da ilustração acima, FOI SEM CENTROAVANTE!! Vou entrar nessa campanha do Ricardo. Sinceramente não consigo entender a torcida gremista. Os motivos o cornetadorw escreve a todo momento. Não vou ser repetitivo. Mas chega ser cansativo esse assunto na ivi e entre a torcida.

Vamos citar alguns exemplos de jogadores que cairiam como uma luva nesse time do Grêmio:

  1. Willian Bigode: sabemos que é um jogador caro. Palmeiras pagou uma grana preta para tê-lo. Ano passado estava na reserva. Entrava sempre no decorrer das partidas. Esse ano o Roger colocou no time titular.
  2. Keno: outro jogador que me agrada. Também entrava no decorrer das partidas. Não sei como será esse ano com o novo técnico no Palmeiras.
  3. Acosta: esse jogador do Lanus sequer foi cogitado na ivi. Até hoje não entendo porque o Grêmio não quis sequer tentar. Joga na posição do Pedro Rocha e faz gols. Tá certo que o assunto é o maldito centroavante, mas cairia como uma luva nesse time do Grêmio.
  4. Jonas: esse seria o sonho. Deve ser muito caro. É ídolo em Portugal. Faz gol em quase todos os jogos. Seria a cereja do bolo para lotar o Salgado Filho. Como diria aquela música, “sonhar não custa nada…”

E vocês, o que pensam a respeito?

Link do Corneta: http://cornetadorw.blogspot.com.br/2018/01/expliquem-para-o-mr-bean.html

Grêmio 3×5 Caxias (2ª rodada Gauchão)

39769565422_2e5177cf40_k

Por Andre Peixoto

E na segunda rodada do Campeonato Gaúcho tivemos de tudo. Muitos gols, bom futebol da gurizada do Grêmio, erros da defesa tricolor e o de sempre: juiz com erro humano e o goleiro Bruno Grassi aceitando gol de tudo quanto é tipo.

A gurizada entrou em campo a todo vapor. Velocidade, muito toque de bola, deslocamentos, ultrapassagens e marcação adiantada. Tanto que logo em seguida abriu o placar. Minutos depois, na primeira investida do Caxias veio o gol. Bola cruzada na área, falha da zaga e gol de cabeça. Grêmio virou para 3×1 com muito bom futebol. Mas aos poucos os erros foram se somando, com falha da zaga e do goleiro Bruno Grassi, que mostra a todos que não possui as mínimas condições de estar no clube. Muito fraco tecnicamente. É o tipo de goleiro que o adversário fala: só chutar que é gol.

Mas não são somente falhas que devemos analisar essa partida. O Grêmio esteve muito bem do meio prá frente. Jogadores como Balbino, Matheuzinho e Jean Pierre foram muito bem na partida. Acredito que esse seja o caminho. Usar a gurizada sem se importar com os resultados. Grêmio precisa dar força a eles. Dar confiança. O grupo principal só deve jogar esse campeonato falcatrua para pegar ritmo. Até porque nada irá mudar no Noveletão. Teremos sempre erros grotescos de arbitragem. Fica até ridículo comentar.

Presidente Romildo: continue com esse planejamento…

 

São Luiz 1×1 Grêmio (1ª rodada Gauchão)

17-01-2018_it-ggg6024ggg-sao_luiz_gremio0002_l
Por Walter Luis Borba

O “Charmoso” para uns!
A “Champions League”  para outros, leia-se: colorados…
O “Ruralito” para os Gremistas.

O nosso tradicional Gauchão começou e tem coisas que não adianta. Não muda! Estádio acanhado, campo recém reformado, chuva, barro, torcida do adversária (Grêmio) no pior local do estádio. Para variar na RBS Lucianinho Périco, Saraiva e Márcio Chagas, que sempre vê penal contra o Grêmio. O que infelizmente não muda na SporTV/Premier, porque lá está o Batista. Mas vamos ao que interessa: o jogo.

Se o torcedor gremista assistiu  o jogo exigindo resultado ou com a esperança de ver um novo Artur ou Luan pode ter se decepcionado. Agora, se o jogo foi visto com o intuito conhecer os garotos, souber quem é quem, como joga. A mim, pelo menos, a primeira impressão foi promissora.

Acredito que, nesta equipe que jogou ontem tem dois ou três jogadores que bem treinados, com confiança e jogando com os profissionais, tem totais condições de compor o grupo principal, e certamente, dará muito mais resultado que um medalhão que venha ser contratado. E quiçá, logo ali, torna-se titular da equipe.

O primeiro tempo a garotada buscou fazer o estilo de jogo do time principal: saindo e toques envolventes. Foi assim que o gol saiu. Isso me agradou. Não deram chutão. Para mim o lance do gol valeu todo o primeiro tempo.

No segundo tempo, o São Luiz deu uma leve melhorada comparado a si mesmo, intimidando os meninos com chegadas mais ríspidas, especialmente o 8 (Rugieri), que deve ter uns 150 anos. Levou amarelo só no fim do jogo. Somado as condições do gramado. A expulsão do Paulo Miranda (se é o Dalessandro jamais seria expulso em lance parecido) foi exagerada. Até pelo fato de ser o primeiro jogo.

O empate somente aconteceu  após um gol contra do jogador gremista nos descontos, aos 48 min. Placar clássico para um Gauchão jogando em Ijuí. Considero que, diante das condições citadas, foi uma estréia aceitável.

Destaques:

Mendonça, Ancheta, Mateusinho, Pepê e Guilherme Guedes.

Obs: Lima, quando ele tirar aquela chuteira verde limão, e aquele bigode bagaceiro vou comentar. Caso contrário, vou achar que é peladeiro!

Dinheiro na mão é vendaval…

campanha banco real[1]
Por Andre Peixoto

Desde ontem me ensaio para escrever algo que ouvi em um áudio de uma colaboradora aqui do blog (como não me autorizou, não vou dizer o nome dela).

Estamos vendo um festival de gastança de alguns clubes brasileiros. Palmeiras, Cruzeiro e Atlético-MG abriram os cofres e contrataram muitos jogadores. Junto com o técnico Roger Machado, o Palmeiras trouxe Lucas Lima, Weverton, Marcos Rocha, Diego Barbosa e Emerson Santos. O Atlético-MG fez desembarcar Iago Maidana, Roger Guedes, Arouca, Ricardo Oliveira, Samuel Xavier e Eric. Já o Cruzeiro (o novo rico do mercado brasileiro) trouxe Fred, Mancuello, David, Bruno Silva, Egídio e Edílson. Ainda pipocam nas redes sociais que fez uma proposta milionária pelo nosso zagueiro Geromel. Torcidas em polvorosa, querendo o primeiro jogo do ano para ver as novas contratações, euforia geral. Mas então pergunto: de onde sai o dinheiro? Todos sabemos que os clubes mineiros devem muito. Ouvi falar também que o banco de lá injetou muita grana nos dois clubes. Dizem também que o Cruzeiro deve 3 meses de salários. Edílson foi para lá com esse sonho de salário dobrado. Mas será que o mês mineiro tem 30 dias?

Dentre muita conversa nos grupos de whatsapp, obviamente cobra-se do Grêmio um maior investimento no futebol. A direção gremista nos prometeu um 2018 mais folgado, com dinheiro em caixa para investir um pouco mais. Mas pelos discursos não é o que iremos ter. Estamos praticamente na metade do mês de janeiro e temos apenas algumas apostas como reforços. Será mesmo que estamos fazendo o certo? Será que não devíamos investir um pouco mais no futebol, já que precisamos de jogadores pontuais? Bueno, a opinião do blogueiro segue a mesma. Se for para trazer meia boca, que se use a base. O Palmeiras gasta os tubos com a grana da financeira. Já teve experiência em ser patrocinado pela finada empresa de leite e, depois que saiu, ficaram as dívidas. O próprio Grêmio teve uma péssima experiência com patrocinadores (ISL), na qual sofremos os reflexos até hoje.

Então meus amigos, acredito que a política de pés no chão seja a mais razoável. Já gastamos os tubos (aliás, dinheiro que não tínhamos) com medalhões como Kleber, Marcelo Moreno, Barcos, Zé Roberto, Dudu e por aí vai. O resultado foi zero títulos e muita dívida. Vamos ver até quando os clubes continuarão torrando grana. Ou melhor, até quando aguentarão nesse ritmo…

Política de contratações

22378696

Por Andre Peixoto

Estamos no mês de janeiro, o grupo de transição já se reapresentou e estão treinando no CT Hélio Dourado. O grupo principal só volta aos trabalhos na segunda quinzena desse mês. Confesso que estou preocupado com a lerdeza da nossa direção em trazer jogadores de qualidade. Até agora vieram uma aposta chamada Thaciano, o meia atacante Alisson do Cruzeiro (trocado pelo Edílson) e a última o zagueiro Paulo Miranda (como é para reserva sequer irei comentar). Muito se discute nos blogs e grupos de whatsapp sobre qual jogador devemos trazer. Também é questionado o porquê do Grêmio não fazer como o Cruzeiro, em assediar um jogador com salário maior. Porque o Grêmio é sempre o bom moço? Mas então vem a pergunta:
Será que vale a pena trazer jogadores como o péssimo Jael, na qual a diretoria ainda tenta se acertar por um pedido do técnico Renato? Será que trazendo jogadores como Arroyo e Cristian, apostando sempre naquele pensamento mágico que “com o Renato ele joga”? Será? Eu sempre fui da opinião que, se for para trazer meia boca, que usem a base. Se não der certo ao menos não se gastou em salários altos, luvas e valor do passe. O Grêmio precisa de jogadores pontuais desde o ano passado. Com a vinda do zagueiro Paulo Miranda (a zaga era um setor que precisávamos de jogadores para suplência), nos falta agora um meia, 1 lateral direito e 1 atacante. Todos eles em nível de titularidade.

E você, amigo torcedor? Acha que a diretoria está fazendo certo ou errado?